DIGNOW

dd25481f-20bb-4f62-8de5-5ff4a655050c

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Gilmar Mendes e os capangas de Mato Grosso

Brasília - Movimentos sociais fazem manifestação em frente ao Supremo
Tribunal Federal contra o presidente Gilmar Mendes Foto: Marcello Casal Jr/ABr

kbçapoeta

Interatividade inocente rsrsrsrsrs

Mais ou menos 300 manifestantes representam a maioria dos matrogrossenses em relação a Gilmar Mendes no dia 06 de maio.

Ouvi discursos inflamados do sr Clóvis Roberto (O homem Sangue da mídia) contra o ministro Joaquim Barbosa por alertar Gilmar Mendes que no Supremo tribunal federal não havia capangas , como ele possui no estado de Mato Grosso.

reflita

Reflita

Vamos refletir:

pense não seja um burro

pense não seja um burro

Mas Gilmar Mendes não tem capangas?

Claro que sim!

Qual coronel que não tem?

Sempre teve!

Dalmo Dallari não avisou o quão seria prejudicial a indicação de Mendes por FHC?

Avisou

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, em 8 de maio de 2002 , o jurista Dalmo de Abreu Dallari alerta sobre o que seria a indicação do advogado Gilmar Mendes para o Supremo Tribunal Federal

Gilmar Mendes não é o "Senhor' de Diamantino?

Sempre será!

Afinal a cidade é propriedade da família.

Ainda falam de Edemar que tem castelo,Gilmar mendes tem cidade! hahaha...

Há poucos dias sua língua ferina não atacou as lutas dos trabalhadores rurais e os taxou de bandidos e de marginais?

Já viu coronel gostar de pobre?

Ele ama os latifundiários!

Odeia ecologia!

Por isso Gilmar Mendes é uma vergonha para o Mato Grosso!

E você que gosta do PSDB veja esse lixo de ministro e pensa melhor na próxima eleição.

Afinal...

Ele está lá por sua causa também.

Quem mandou votar em FHC?

REFLITA E PASSE O MOUSE EM TODAS AS PERGUNTAS

Reproduzo, a seguir, trecho da reportagem de Leandro

Fortes, na CartaCapital de 20 de novembro de 2008. O repórter (o mesmo que teve sua fala censurada na TV Câmara, ao criticar o presidente do Supremo) mostrou que Diamantino (MT), terra natal de Gilmar "está na mídia" Mendes, é município controlado com mão de ferro pela oligarquia Mendes.
Leiam esse trecho da reportagem:
"Em 14 de setembro de 2000, na reta final da campanha eleitoral, a estudante Andréa Paula Pedroso Wonsoski foi à delegacia da cidade para fazer um boletim de ocorrência. Ao delegado Aldo Silva da Costa, Andréa contou, assustada, ter sido repreendida pelo então candidato do PPS, Chico Mendes [irmão de Giilmar - nota do 'Escrevinhador"], sob a acusação de tê-lo traído ao supostamente denunciar uma troca de cestas básicas por votos, ao vivo, em uma emissora de rádio da cidade. A jovem, de apenas 19 anos, trabalhava como cabo eleitoral do candidato, ao lado de uma irmã, Ana Paula Wonsoski, de 24 – esta, sim, responsável pela denúncia. Ao tentar explicar o mal-entendido a Chico Mendes, em um comício realizado um dia antes, 13 de setembro, conforme o registro policial, alegou ter sido abordada por gente do grupo do candidato e avisada: “Tome cuidado”. Em 17 de outubro do mesmo ano, 32 dias depois de ter feito o BO, Andréa Wonsoski resolveu participar de um protesto político. Ela e mais um grupo de estudantes foram para a frente do Fórum de Diamantino manifestar contra o abuso de poder econômico nas eleições municipais. A passeata prevista acabou por não ocorrer e Andréa, então, avisou a uma amiga, Silvana de Pino, de 23 anos, que iria tentar pegar uma carona para voltar para casa, por volta das 19 horas. Naquela noite, a estudante desapareceu e nunca mais foi vista. Três anos depois, em outubro de 2003, uma ossada foi encontrada por três trabalhadores rurais, enterrada às margens de uma avenida, a 5 quilômetros do centro da cidade. Era Andréa Wonsoski."
O ministro Joaquim "estou nas ruas" Barbosa deve ser leitor de CartaCapital. É o que conclui Mino Carta, diretor da revista, no editorial desta semana (29 de abril de 2009).

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Vereadores do nosso Mato Grosso




O 1º Congresso dos Vereadores de Mato Grosso deve reunir pelo menos 800 vereadores em Cuiabá, os outros pedirão abstenção.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Camelô e a marginalização




Foi anunciada a legalização dos camêlos. Classe marginal do mundo urbano.


Se traçarmos um contexto social, no mundo rural os famigerados são o MST (movimento dos trabalhadores rurais sem terra), e nas cidades são os Camêlos. Mas quem são os "Camelôs"?


Normalmente ninguém, pois não existe uma organização coesa, pois há muitos camelôs que são funcionários de algum megaempresário informal.


Eu acredito que a saída para acabar com o crime é discriminalizar as categorias. Não é muito mais interessante o camelô continuar trabalhando, trazendo beneficios ao fisco, do que marginalizado fugindo com sua banca nas mãos como um ladrão?


Não seria mais interessante o estado discriminalizar as drogas, e organizar sua distribuição, para haver menos violência e tráfico de armas?


Não seria interessante existir uma TV pública do estado do Mato Grosso?

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Sapatos para os pés no chão



Estava no dia da procissão,

O pastor falou:

Ajoelhou tem que rezar

Pode ser uma piada,
Um ditado popular.

Mas povo que muito se abaixa,

Não alcança seu lugar.

Mesmo se a vida não melhorar

E continuarmos caminhando

Com os pés no chão.

Os sapatos da vitrina
Lustrados com verniz,

Arremessado contra o império

Que fez da economia sua meretriz

MODALIDADES

KBÇÓIDES POÉTICOS