DIGNOW

dd25481f-20bb-4f62-8de5-5ff4a655050c

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Soneto da pedra bonita






Amo-te tanto que prefiro ter
A solidão de um penar no deserto
Do que sofrer por um amor incerto
Dor no peito que não posso conter

Quero-te tanto que não sei deter
Minha vontade de lhe ter por perto
No coração desejo tal aperto
Na minha vida poder-te reter

Porém a chance não seja possível
Pois meu retorno tenha sido lento
E minha felicidade perdida

Acredito sempre no impossível
O seu calor,meu verão um alento
no meu vagar em amar sem medida




MODALIDADES

KBÇÓIDES POÉTICOS