DIGNOW

dd25481f-20bb-4f62-8de5-5ff4a655050c

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

CALABOUÇO DAS PALAVRAS


Deixo a palavra com meus lábios,
Que acaba de tocar
levemente o papel,
Ornado com letra miúda,
Que continuas a ler

Não a pronunciarei mais!
Palavra feita navalha,
que fere,
Marca e não cicatriza.

Triste destino da palavra.
Essa que por longos séculos,
Está aprisionada.


Sombrio e escuro o calabouço,
Onde deixo condenada,
Sem pena,
A palavra.

3 comentários:

ABC disse...

Poeta:
Você vai assistir ao Duelochat hoje, né? Às 22:30.
Não perde não, vou mandar o Gio pro calabouço, sem pena.
Vai lá, e se achar que eu mereço, torce por mim! rsrs
Beijo, Poeta!
Belpissima poesia! Deu ideia pro Duelochat...

shintoni disse...

K:
Hoje seu blog foi novamente indicado a um selo pelo Duelos, desta vez ao selo "Vale a Pena Ficar de Olho Nesse Blog!".
Se quiser incluí-lo aqui, é só ir ao Duelos conferir!
Abração e ótimo final de semana!

shintoni disse...

K:
Hoje um poema seu foi indicado a Post Inesquecível do Duelos. Depois, se quiser, passa lá pra conferir!
Abração e ótimo final de semana!

MODALIDADES

KBÇÓIDES POÉTICOS